ninguém me representa

Ou “Como todos nós perdemos as eleições”

Não adianta a esquerda vir pedir para a direita mudar seu voto quando eles não foram capazes deixar uma opção viável. Tento explicar o porquê que a direita ficou sem opção:

Pra começar a direita não vê o PT como um partido de esquerda,  e sim como uma organização criminosa.

Conversei com várias pessoas durante essas eleições e cheguei a promover encontros na minha casa para discutir política. Um pensamento comum entre os meus amigos a direita e à esquerda era que contra o PT e contra o Bolsonaro qualquer opção era viável. As pesquisas de opinião também diziam isto.

Foi bonito o movimento que as pessoas mais sensatas fizeram tentando levar o Ciro Gomes para o segundo turno, e se ele estivesse emplacado não seria difícil ganhar do Bolsonaro. A esquerda não foi mais forte que o PT (que volto a dizer, não é vista pela direita como esquerda e sim como uma organização criminosa).

O discurso de esquerda e direita faz-se inócuo neste segundo turno. O voto é pró ou anti PT, e não esquerda e direita, tal qual o PT sempre quis e trabalhou, o famoso “nós contra eles”, o PT só não esperava que a turma do “d’ele“ seria muito maior e agora o resto da população mais sensata está jogada à própria sorte.

O Bolsonaro e toda esta polarização, que não é de agora, foi criado propositalmente pelo PT e não pela esquerda ou direita. O eleitor do Bolsonaro não é machista, racista e preconceituoso por definição, não mais do que os próprios eleitores do PT ou de qualquer outro partido, insistir em agredir estas quase 50 milhões de pessoas não faz bem à democracia e muito menos com que alguém mude de voto. Só faz acirrar ainda mais os ânimos, é hora de acalmar. A sociedade brasileira, em todas as esferas, é cheia de preconceitos e essa é uma luta que precisamos batalhar dia-a-dia para construirmos uma sociedade melhor.

Também estou triste e preocupado com o que vai acontecer, acompanho política desde que me entendo por gente, comecei brigando pra montar um grêmio estudantil na minha escola e, desde aquela época, descobri que política se faz através de conversa, de troca de ideias e do poder de convencimento e aglutinação. Começar a defender sua posição, agredindo a outra, não é fazer política, é fazer PROPAGANDA, e a do pior tipo.

Nenhum dos dois lados me representa e o estrago já está feito. Vou votar em alguém, acho um absurdo o voto nulo, mas não há representantes neste segundo turno nem da direita nem da esquerda. Só do PT. Anti e Pró.