A Minha conta de energia chegou, e a sua?

Depois do Governo Federal, através da presdidente Dilma, ter anunciado, feito escândalo, alardeado, se conclamarem salvadores do mundo e soltado fogos de artificio que o preço da energia no Brasil iria diminuir tanto para consumidores residenciais quanto comerciais, 2 anos depois vejo minha conta estratosfericamente mais alta. A propaganda O anuncio da diminuição de energia aconteceu através de DOIS pronunciamentos oficiais da presidente da república em cadeia Nacional de rádio e televisão.

Se quiserem ler os pronunciamentos, na íntegra, podem acessar aqui o de 06 de setembro de 2012 e aqui o de 23 de janeiro de 2013.

Não tenho como pegar na internet minhas faturas da AES Eletropaulo de mais de 12 meses, o que também não importa muito já que Governo Federal fez questão de anunciar essa parte quanto diminuiu a conta de energia. Eu estou aqui para mostrar em quanto a minha aumentou agora.

energia1Em março de 2014 eu pagava um total de R$ 0,23844 por kWh consumido, na fatura deste mês (março 2015) vou pagar um total de R$ 0,3643. Em um ano, só a tarifa, ficou 52,78% mais cara. Os impostos na conta também aumentaram.

Os impostos que em março de 2014 eram PIS/PASEP de 0,66%, COFINS de 3,03% e ICMS(SP) de 25% em março de 2015 o PIS/PASEP foi para 0,95%, COFINS para 4,36% e ICMS(SP) se manteve em 25%. PIS/PASEP e COFINS são federais e o ICMS estadual.

Uma família com 5 pessoas consomem algo em torno de 500 kWh por mês de acordo com uma pesquisa que fiz com amigos no Facebook e alguns dados na internet. Independente do seu consumo, exceto que seja baixa renda e/ou consuma menos que 200 kWh/mês, os números não serão muito diferentes. No meu cálculo estou me baseando nas tarifas da AES Eletropaulo e ICMS estadual de 25% (São Paulo). Segue o quanto aumentou “minha” conta de energia:

conta de energia

Lá nos pronunciamentos de 2013 a Presidente da República disse que No caso da energia elétrica, as perspectivas são as melhores possíveis” e acrescentou que “…o Brasil vai ter energia cada vez melhor e mais barata, significa que o Brasil tem e terá energia mais que suficiente para o presente e para o futuro, sem nenhum risco de racionamento ou de qualquer tipo de estrangulamento no curto, no médio ou no longo prazo.” 2 anos depois a realidade não é mais a mesma?! Que ótimas análises o governo faz hein?!

Todo o Governo fez festa com o anuncio e fazia questão desmerecer e taxar de pessimista e coisas bem piores todos que faziam comentários e análises (técnicas ou não) questionando os dados, e a falta deles, e previsões na fala da Presidente. Hoje vemos que os pessimistas eram, na verdade, os realistas que estavam com a razão, ou pelo menos mais próximo dela. O Governo Federal precisa parar de mentir para si mesmo, pois para o povo eles não vão parar tão cedo.

Claro que foi bom ter o “desconto” por algum tempo, mas a que custo? O Governo Federal se endividou para dar o desconto, deixou de arrecadar e isso colaborou para a atual bagunça nas contas do país. Hoje pagamos muito caro pelo pífio desconto. Ele não incentivou crescimento como foi dito, e este não era o real intuito, até porque para crescer precisaríamos produzir mais, teríamos consumido mais energia e não havia como atender a demanda, vide alguns “apaguinhos” que aconteceram neste verão por “stress” na rede. Se não era para incentivar o consumo era pra que? Acho que muita gente já sabe a resposta…

Minha conta ficou “só” 56,33% mais cara em 12 meses. A inflação em 12 meses (dados de fevereiro) já está em 7,70% e, com este aumento na energia, vai ser difícil que diminua. Tudo está aumentando, inclusive a insatisfação na rua.